Animais abandonados: veja como resgatar com responsabilidade.


Uma cena muito comum e triste é quando nos deparamos com animais abandonados, com as mais diferentes razões para seus sofrimentos. Fato é que, existe milhares de pets deixados à própria sorte, sem receber o carinho e os cuidados necessários, cães e gatos de rua vivem em situação precária, ficando sujeitos à muitas adversidades.

Por isso, veja, a seguir, algumas dicas de como resgatar esses pets da forma correta:

1. Aproxime-se com cuidado


Eis que, depois de ver um cão ou gato na rua de casa por alguns dias, você decide resgatá-lo. E agora, como devo me aproximar daquele animal?

Embora muitos pets abandonados sejam dóceis, eles ainda assim podem estranhar quando alguém decide segurá-los e colocá-los dentro do carro, por exemplo. Lembre-se que muitos deles já passaram por maus tratos e, por isso, não é de estranhar que sejam um pouco ariscos.

Sendo assim, vá com calma! Mantenha uma postura tranquila e tente atrair o pet com a ajuda de algo apetitoso. Assim, você vai ganhando a confiança dele. Se perceber que ele já está mais à vontade, tente fazer carinho, mas fique sempre atento aos sinais que o pet dá para evitar mordidas ou arranhões.

2. Procure uma clínica veterinária


Você conseguiu ganhar a confiança e descobriu que o animal está abandonado na rua. Agora, o próximo passo é cuidar da saúde dele e, consequentemente, da sua família e de outros pets que possam viver na sua casa.

Para isso, procure uma clínica veterinária de confiança. Na maior parte das vezes, animais abandonados estão repletos de pulgas, carrapatos e de outros parasitas. Portanto, passar pela vermifugação e receber medicamentos antiparasitas costuma ser essencial. Mas existe o risco também de outras doenças. Nesse sentido, o veterinário poderá fazer uma análise clínica e solicitar alguns exames.

3. Já converse com o veterinário sobre castração


Ainda mais quando sua intenção não é ficar permanentemente com o pet, o resgate responsável de animais envolve levá-lo para fazer a castração. Isso porque, uma das principais causas do grande número de animais abandonados é justamente a falta de controle na reprodução deles. Mas esse não é o único motivo!

Independentemente da idade do pet que você resgatou, a castração ainda ajuda a prevenir uma série de doenças graves, como até mesmo alguns tipos de câncer. Por isso, ainda que o veterinário não libere o pet para o procedimento naquele momento, é importante buscar informações e se programar.

4. Mantenha o pet relativamente isolado


Mesmo passando por uma consulta no veterinário, o resultado de alguns exames pode demorar um pouquinho mais para sair. Até ter certeza de que o pet está saudável, o ideal para quem tem outros animais na casa é mantê-los em cômodos separados.

Lembre-se que algumas doenças, como a Felv felina, são contagiosas e bastante graves! E claro: você deverá garantir que o cômodo seja adequado e tenha tudo que o pet precisa.

Nem todo mundo que resgata um animal abandonado tem a intenção de ficar com ele. E não tem problema, o mais importante é retirá-lo de situações de risco e proporcionar os primeiros cuidados veterinários. Mas mesmo que você vá doá-lo, enquanto estiver com você, ele é sua responsabilidade. Então, proporcione a ele um lar acolhedor, com caminha, água fresca e ração de qualidade e dê muito amor e carinho! Além de ser muito bom para o pet, tudo isso facilita o processo de adoção, à medida em que o peludo se torna mais comportado e sociável.

5. Não tenha vergonha de pedir ajuda


Se você pode arcar com os custos de veterinário, vacinação, castração, medicamentos, acessórios, entre outros que o pet pode precisar em um primeiro momento, ótimo! Você estará fazendo um bem enorme! Já se não puder, converse com amigos, familiares, faça postagens nas redes sociais e conte com a solidariedade das pessoas.

Pode ser que alguém não contribua com dinheiro, mas tenha uma caminha sobrando ou alguns brinquedos.

6. Seja responsável também na doação


Muitos pets em situação de rua só estão ali porque, em algum momento, tutores irresponsáveis decidiram abandoná-los. Não contribua para que isso aconteça! Se não puder ficar com o pet resgatado, antes de doá-lo, procure conhecer melhor os interessados em levar o peludo para casa. Você pode se inspirar nas ONGs, que sempre perguntam sobre membros da família, se tem ou não outros pets na casa, se as janelas são teladas (no caso dos gatos), entre outras questões.

7. Considere outras formas de ajudar!


Muitas vezes, por conta dos gastos, da falta de tempo ou mesmo porque nem todos da família estão de acordo, alguns não podem fazer o resgate de animais abandonados. Mas saiba que existem também outras formas de ajudar, além do resgate e da adoção, como compartilhar posts desses pets em suas redes sociais ou contribua financeiramente pois as despesas das ONGs são enormes.

Lembre-se que, com a sua ajuda, será possível reduzir a porcentagem de animais abandonados em sua região.


Gratidão por estar conosco! Precisamos de contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


0 visualização

Colaborador

69524533_443244186272697_381744888066080
71850565_996543657389730_270500601259465
l-fotor-black03 500x500.png
26903629_1542510085833022_67302859417342
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon